Pauta das 7

Passarelas dos ambulantes seguem com irregularidades

Foto: reprodução

Uma inspeção realizada nesta quarta-feira (7), na Barra, no principal circuito de Carnaval de Salvador, constatou a permanência de irregularidades nas passarelas dos ambulantes. A recomendação é de que a estrutura não seja usada até que os problemas sejam resolvidos.

A inspeção foi realizada por uma equipe de arquitetos e engenheiros da Central de Apoio Técnico (Ceat) do Ministério Publico da Bahia (MP-BA). De acordo com o órgão, as falhas comprometem a segurança da estrutura e dos trabalhadores que usarão o equipamento.

Entre os problemas, estão falhas que, conforme o MP-BA, podem ocasionar acidentes de trabalho. Veja a relação:

  • Utilização de pregos na fixação dos compensados de acabamento, o que traz sérios riscos de corte dos pés dos ambulantes.
  • Falta de rigidez nos guarda-corpos das escadas e da estrutura, e alguns espelhos das escadas continuam vazados.
  • Os guarda-corpos da escada e o superior também permanecem instáveis e a parte inferior da estrutura da passarela está sendo utilizada para armazenamento de cadeiras de praia e outros objetos como sombreiro e botijão de gás.
  • A equipe da Ceat constatou ainda que os blocos de madeira continuam no mesmo estado, alguns já apodrecidos e tortos, e alguns pilares continuam sem instalação centralizada.

“A equipe responsável pela passarela melhorou a condição estrutural, mas não sanou todas as inconformidades evidenciadas. E o que nos causa insegurança é a ausência de projeto técnico estrutural com dimensionamento para possíveis cenários de aglomeração de pessoas”, ressaltou Alexandre Matos.

Apesar do problemas, algumas solicitações feitas pelo órgão foram atendidas, a exemplo da ancoragem da estrutura na contenção de pedra e a instalação de uma segunda linha de apoios em contenção no trecho que anteriormente só tinha apoio estrutural na área de praia.

Em nota, o órgão informou que oficiou a Prefeitura de Salvador e a empresa FGM solicitando o envio dos projetos estrutural e elétrico, além de informações sobre a adequação do que foi identificado nas vistorias.

O MP também oficiou o Corpo de Bombeiros Militar da Bahia (CBM-BA) para que envie os relatórios das fiscalizações realizadas hoje e dia 2 deste mês.

“Em razão dessa preocupação estamos de novo oficiando o Município para que junte o projeto estrutural e traga todas as anuências dos órgãos competentes para que tenhamos certeza de que a plataforma poderá ser utilizada. Por enquanto, diante dessa nova vistoria realizada hoje por nossa equipe técnica as inseguranças continuam”, destacou a promotora de Justiça Cristina Seixas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *